domingo, 9 de dezembro de 2018

A Espanha pintada de vermelho e branco

MADRI PINTADA DE RIO DE PRATA!

3X1

NA SUPER FINAL, RIVER PLATE BATE BOCA JUNIORS NA PRORROGAÇÃO E FATURA O TETRA

1986, 1996, 2015 e agora 2018!
O River Plate é tetracampeão da Taça Libertadores, e ainda o primeiro com dois títulos nesta década, encerrando finalmente a conturbada edição deste ano.

Marcada por adiamentos tanto no jogo de ida como de volta (última edição com este sistema). Principalmente o último jogo, que foi tirado do estádio do River por conta de brigas de torcida e insegurança pública, o jogo foi ineditamente transferido para Europa. Ou seja, a estreia de um campo neutro para uma final acabou sendo antecipado em um ano. Como se sabe, em 2019 será final única, em Santiago no Chile.

----

Neste ano, o estádio Santiago Bernabéu do Real Madrid foi palco de uma inédita e histórica super final. O super dérbi argentino Boca Juniors e River Plate decidiu a competição. Apesar do campo neutro, por conta de sua melhor campanha, o River foi quem confirmou o favoritismo à parte. De virada emocionante e na prorrogação, os Millonarios venceram os Xeneizes, por 3x1, e conquistaram a América (ou Europa, se preferir) pela quarta vez.
A festa foi enorme por lá, com uma multidão dos torcedores campeões. E claro, em Buenos Aires, embora não haverá carreatas por lá de imediato. A delegação do River Plate, após a estadia de Madri, irá direto aos Emirados Árabes, para representar a América do Sul no Mundial de Clubes da FIFA, que começa nesta quarta-feira.

No tempo normal, as duas equipes criaram muitas chances de ambos os lados. O River trocou mais posse de bola. Mas foi o Boca a ser mais eficiente na primeira etapa, abrindo o placar ao final dele. E sempre ele, Benedetto. Carrasco do Palmeiras na semifinal, o camisa 18 iniciou dessa vez como titular e abriu o placar. Quinto gol dele nos últimos quatro jogos.Na comemoração, mostrou a língua para cima do adversário.
Mas como ele não é muito de jogar os 90 minutos, deu lugar à Ábila na segunda etapa. E aos 22 do segundo tempo, o River buscou o empate, em linda jogada que terminou num petardo de Lucas Pratto.

Veio o tempo extra, e aí o time boquense acusou do cansaço e abusou das faltas. Na primeira parte, o volante Barrios tomou o segundo amarelo e foi expulso. Com um a mais, o River partiu ainda mais para cima da virada. E ela finalmente veio, na segunda parte. Quintero marcou um golaço. O Boca ainda perderia um segundo jogador. Fernando Gago lesionou o joelho e saiu fora. Mesmo assim, investiu no ataque, chegando a meter bola na trave.
Num último desespero, o goleiro Andrada foi para a área tentar algo a mais. Levou a pior com a zaga River, que instaurou o contra-ataque mortal. Pity Martínez, que eliminou o Grêmio, deu o golpe de misericórdia e marcou o gol derradeiro, o gol do título. O ponto final para uma histórica vitória!

Arriba River!

Mal termina a edição 2018 da Libertadores, das mais demoradas possíveis, e vem logo a de 2019. Na segunda que vem, acontecerá o sorteio dos grupos.


Nenhum comentário: